loading...

PHP Internals — Introdução a HashTable

omarkdev profile image Marcos Felipe Originally published at Medium on ・4 min read

Recentemente iniciei uma jornada de estudos sobre PHP Internals , principalmente sobre as mudanças que ocorreram do PHP 5 para a versão 7. Infelizmente existe pouco conteúdo sobre o assunto hoje de forma fácil e em português, por isso me senti motivado a começar a escrever sobre o assunto, para difundir o conhecimento sobre tal e quem sabe termos como consequência mais assuntos sobre o mesmo.

O que é HashTable?

Basicamente podemos dizer que HashTable é uma estrutura de dados onipresente que associa chaves de pesquisa a valores. Para ficar mais simples, podemos dizer que no PHP arrays são iguais a HashTables.

Para quem já teve algum contato com a linguagem C, sabe que não conseguimos criar valores dentro de arrays , que as chaves são qualquer tipo de dados diferente de int’s , já no PHP isso funciona de maneira diferente, pois nossas chaves podem ser strings, int’s, floats, nulls e boolean’s , então como isso funciona por baixo dos panos? Já que o PHP é em C e em C as coisas são diferentes? É nesse momento que o HashTable entra.

A idéia do HashTable é bem simples, quando definimos uma chave que é um valor complexo, como por exemplo uma string, essa chave passa por uma função hash , que retorna um inteiro. Este inteiro, então, é utilizado como índice para um array “normal”, já que em C não conseguimos colocar strings como chave de arrays. A estrutura seria algo parecido com isso:

Exemplo de HashTable no PHP

Neste exemplo, queremos alocar um valor em nosso array com a chave foo , essa chave passa pela função hash que retorna o inteiro 1 , que será o índice utilizado para alocar o valor de foo.

Com uma estrutura assim, temos alguns problemas, um deles é que duas strings podem retornar o mesmo inteiro, pois as strings são virtualmente infinitas, enquanto o hash é limitado pelo tamanho dos inteiros. Então as HashTables precisam implementar alguma maneira de resolver as colisões.

Parar resolver esse problema de colisões, o PHP armazena os elementos que tem o mesmo índice em uma lista encadeada. Então quando procuramos uma chave, o PHP calcula o hash e em seguida percorre a lista encadeada de “possíveis” valores até encontrar o valor correspondente, ou não. Os elementos da lista encadeada são chamados de Buckets.

Buckets

A estrutura de Buckets do HashTable é semelhante a isso:

Exemplo de HashTable com Bucket’s no PHP

Neste exemplo, ao inserirmos um valor com a chave bar a função hash retornou o mesmo inteiro da chave foo então os elementos foram adicionados na lista encadeada, sendo que o bucket foo tem um ponteiro que aponta para o próximo bucket que é bar.

A lista em que os Buckets são armazenados, é apenas uma lista para todas as colisões, isso é uma vantagem pois não precisamos de uma alocação de memória para cada colisão e sim uma alocação gigantesca para a lista inteira. Além disso, os Buckets são armazenados em ordem de inserção, indiferente da chave que foi especificada.

Quando armazenamos um valor dentro de nosso array, além de armazenarmos os Buckets, precisamos armazenar também outras informações, como, número total de elementos que chamaremos de nNumUsed e número de elementos usados que chamaremos de nNumOfElements , entre outras coisas.

No momento de inserção de elementos não faz muito sentido ter nNumUsed (número total de elementos) e nNumOfElements (número de elementos usados), mas a partir do momento que começamos a excluir elementos de nosso array, essas informações se tornam importantes. Imagine o seguinte, se armazenamos 5 itens dentro de um array, os slots de 0 a 4 estão sendo utilizados, então temos nNumUsed com o valor 5 e nNumOfElements também com o valor 5, mas se deletarmos o elemento que está no slot 2 , que é o nosso terceiro item, o valor de nNumUsed ainda é 5, porém nNumofElements agora é 4.

Tombstone

Quando deletamos um elemento da lista de Buckets, primeira coisa que fazemos, como já vimos, é decrementar o valor nNumOfelements no Hashtable, depois disso marcamos o Bucket como excluído, essa marcação é chamada de Tombstone. Mas porque não excluímos o Bucket da lista de Buckets?

Imagine que em uma aplicação temos um array com 1000 elementos, e excluímos o segundo elemento, se deletássemos esse elemento do Bucket, teríamos que realocar todos os outros 998 elementos em uma posição anterior, isso não seria nem um pouco performático, ao invés disso apenas marcamos como excluído e na hora de percorrer a lista apenas filtramos todos que não são “excluídos”.

Conclusão

Isso foi apenas uma introdução de como funciona o conceito de HashTable no PHP, caso tenha interesse em aprender mais coisas, sugiro estes artigos e palestras:

Twitter : https://twitter.com/omarkdev

Github: https://github.com/omarkdev


Posted on by:

omarkdev profile

Marcos Felipe

@omarkdev

Developer at Crawly, technology lover and graduated in Database.

Discussion

markdown guide