loading...

Porquê as pessoas não participam tanto de comunidades do interior

omarkdev profile image Marcos Felipe Originally published at Medium on ・5 min read

Cada vez é mais comum vermos novas comunidades ou eventos surgindo, tanto no interior, quanto em capitais e isso é ótimo, pois traz oportunidades de conhecimento para vários lugares. Provavelmente se você é do interior e vive em cidade relativamente média ou grande, tem algum evento ou comunidade acontecendo ai.

Mesmo com eventos acontecendo em todo lugar, sempre teremos aqueles eventos e comunidades que são referência para todos e que na maioria das vezes acontecem nas capitais. Inclusive muitas vezes essas comunidades são exemplos a serem seguidos no início das comunidades “menores”.

Com a existência dessas comunidades do interior, vemos que a adoção é difícil e é um alvo de muitas críticas, seja pelo seu conteúdo ou a forma como está sendo feita. Muitas pessoas da área preferem ir a um evento de outra cidade, onde o custo é relativamente mais alto, do que ir em um evento que pode estar acontecendo bem próximo, mas por que isso acontece?

Complexo de vira-lata

Esse termo foi criado pelo escritor Nelson Rodrigues, que originalmente referia-se ao trauma sofrido pelos brasileiros em 1950, quando a seleção brasileira foi derrotada na final da copa do mundo. Logo Rodrigues também percebeu que o fenômeno não se limitava somente ao campo futebolístico.

A explicação simples do termo é que o brasileiro gosta de falar mal de si e valorizar tudo que vem de fora, como se não tivéssemos a capacidade de fazer algo bom.

“Por “complexo de vira-latas” entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo. Isto em todos os setores e, sobretudo, no futebol.” — Nelson Rodrigues.

Cada vez mais comum se torna ouvir falar desse termo, bem provável que tenhamos escutado isso referindo se a o que os brasileiros acham de si mesmo comparados com outros países. Recomendo sobre o assunto você assistir um vídeo de um gringo falando sobre esse assunto (talvez você ache que tenha mais relevância?!)

Porém, penso que esse assunto não se limita apenas ao brasileiro com o exterior, acredito que também acontece internamente.

Trazendo para nossa realidade

Se você está inserido de alguma forma nessas comunidades locais “menores”, faça um exercício de lembrança, quantas pessoas você já viu criticando os eventos da sua cidade ou região mas vangloriando os da capital? Quantas vezes um colega de outra empresa foi dar uma palestra nesses eventos locais e a maioria das pessoas da área não foram por não acharem ele relevante? O quão comum é uma pessoa pagar R$ 1.800,00 em um ingresso da QCon São Paulo mas reclamar de pagar R$ 5,00 de ajuda em um coffe-break no evento da sua cidade? Isso quando tem que pagar.

Aparentemente algumas pessoas acreditam que pela pessoa estar uma realidade próxima, ela não é capaz de produzir um conteúdo de qualidade assim como as pessoas de outras comunidades. Logo isso pode gerar outro pensamento problemático, se a pessoa da mesma realidade que a minha não consegue, por causa da nossa realidade, eu também não consigo.

O problema não está em pagar R$ 1.800,00 em um ingresso, ou se deslocar para ir em um evento em outra cidade, ou achar foda uma comunidade de outra cidade, problema é criticar a comunidade local ou seus membros simplesmente pelo local.

Mas tudo isso muda quando quem fala é de outra comunidade

De repente a comunidade da sua cidade que está organizando um evento consegue trazer um palestrante de uma comunidade maior e o evento lota como nunca e os organizadores se perguntam o motivo disso ter acontecido. Aparentemente só pelo fato da pessoa ser de outra realidade ela pode realizar aquilo com mais qualidade do que as pessoas da sua realidade.

Em algum momento os eventos começaram a ganhar notoriedade pelas pessoas que palestram e não pelo conteúdo. Obviamente a pessoa que palestra tem um papel muito importante no conteúdo, mas hoje a importância não é a pessoa como palestrante e sim a pessoa como membro de uma comunidade maior.

Novamente a critica não está no fato de irmos prestigiar um palestrante de fora em eventos da nossa cidade, ou trazer um palestrante para o evento da sua cidade, até por que é muito importante termos contato com outras pessoas de nossas áreas, mas a critica está em quando isso não é válido simplesmente pelo fato de que a pessoa que palestra é de outra empresa ou não é “famoso” nas comunidades maiores.

Faça parte da mudança

Um problema, só é um problema, porque existe solução.

Com certeza as comunidades do interior tem muitos problemas, muitos pontos a melhorar, mas do que adianta a critica se não existe a proposta de solução? Como nosso amigo do vídeo diz, “Faça parte da mudança”, se você acredita que o conteúdo não está bom, a qualidade do evento tem que melhorar, você pode tentar fazer essa mudança acontecer. A sua realidade não é condizente com a sua capacidade.

Todos nós conhecemos, bem ou mal, a capacidade que temos, ou que pensamos ter, porém por vezes nos diminuímos acreditando que não somos capazes de realizar aquilo que outros, fora do nosso círculo, realizam, isso acarreta dois problemas, o primeiro e mais óbvio é que nos limitamos, e não conseguimos expandir o nosso conhecimento simplesmente por pensarmos que não somos capazes, o outro é espelharmos a incapacidade que pensamos ter nos outros que julgamos iguais, “se eu não consigo, mas ele também não consegue”, isso é uma relação prejudicial com o meio em que vivemos, nivelando por baixo.

Tem pessoas muito foda próximo de você

É bem provável que você já tenha ouvido “façam networking” em eventos da área. Isso meio que se tornou cultural em nossa área, mas para você fazer networking, você não necessariamente precisa ir para um evento grande, também tem pessoas próximas a você que são fodas!.

Tente ajudar essas comunidades, submeta uma palestra para os eventos locais, se não existir crie comunidades, mas o mais importante, permita-se aproveitar essas oportunidades da sua cidade talvez o seu viralatismo não está te permitindo crescer de forma mais fácil.

Precisa se convencer que as comunidades próximas não são um vira-lata e que tem qualidade para dar e vender!

Espero que isso te ajude de alguma forma.

Twitter : https://twitter.com/omarkdev

Github: https://github.com/omarkdev


Posted on by:

omarkdev profile

Marcos Felipe

@omarkdev

Developer at Crawly, technology lover and graduated in Database.

Discussion

pic
Editor guide