DEV Community

Rodrigo Santana
Rodrigo Santana

Posted on

 

Gitflow: entenda quando e como você deve utilizar

Ao utilizar o Git para gerenciar versões de um projeto é preciso decidir o fluxo de trabalho (workflow), que irá estabelecer funções bem específicas para diferentes branches e definir quando e como elas devem interagir. Existem diversos fluxos de trabalho consolidados e que podem ser utilizados nos projetos. Neste artigo será abordado sobre o Gitflow, criado por Vincent Driessen.

É comum as pessoas acharem que o Gitflow é um padrão que deve ser estabelecido em qualquer projeto que utilize Git, o que não é uma verdade. Não existe um fluxo de trabalho perfeito onde todos devam seguir, você deve decidir o modelo com base principalmente nas características de implantação do seu projeto.

Como utilizar?

Branches básicas e de longa duração

O Gitflow inicia com as seguintes branches básicas

  • Main (antiga master): contém o código-fonte de produção
  • Develop: contém o código-fonte que irá integrar todas as alterações desenvolvidas para o ciclo do próximo lançamento

Branches de suporte

A partir das branches básicas são criadas as branches de suporte. Tais branches podem ser do tipo feature, hotfix ou release. A imagem abaixo, ilustra a origem para cada tipo de branch e o destino.

Gitflow

  • Feature: são ramos para desenvolvimento de novos recursos do sistema ou correções de bugs não emergenciais, criados a partir da branch develop. Após o desenvolvimento, as alterações são mescladas em direção a branch develop (origem).
  • Hotfix: são ramos para desenvolvimento de correções emergenciais, criados a partir da branch master. Após o desenvolvimento, as alterações são mescladas em direção as branches master (origem) e develop, para que a correção esteja disponível para as novas features.
  • Release: são ramos utilizados para preparação do lançamento da próxima versão de produção. Nelas são permitidas alterações pontuais. Fazendo tais alterações na release branch, a branch develop fica livre para receber novos recursos da próxima versão. São criadas a partir da develop e, após a validação da release, devem ser mescladas em direção a develop (origem) e a master. O "merge back" na develop é importante, pois atualizações críticas podem ter sido adicionadas a release branch e precisam estar acessíveis a novos recursos.

Pontos importantes

  • As branches master e develop são linhas contínuas, ou seja, se mantém durante todo o tempo de projeto.
  • As branches de suporte são temporárias, após concluir o propósito e as alterações retornarem para a origem, tais ramos devem ser descartados.
  • Não há merge da develop em direção a master diretamente, sempre utiliza-se as release branches.
  • As branches que realizam merge em direção a master devem gerar tags, como será visto na parte prática desse artigo.

Praticando

Existem ferramentas para auxiliar no dia a dia quanto a este modelo, você não precisará se preocupar com a origem a qual a nova branch será criada, para onde deve ocorrer a mesclagem quando o trabalho for concluído e se é necessário criar uma tag. A ferramenta irá gerenciar isso para você. Neste artigo será apresentado uma extensão para linha de comando, como é uma extensão, tal recurso não é instalado nativamente com a instalação do Git.

Considere o link abaixo e as orientações para realizar a instalação:

https://github.com/nvie/gitflow/wiki/Installation

Após a instalação:

  • Crie um diretório em seu computador com o nome "gitflow"
  • Acesse tal pasta utilizando o git bash
  • Execute: git flow init
  • Altere os prefixos se preferir ou pressione enter para cada interação para manter o padrão.

Criando uma feature branch

Para iniciar o desenvolvimento de uma nova feature basta executar o comando abaixo:

git flow feature start <NOME_FEATURE>
Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

Para esta prática, considere NOME_FEATURE igual a "cache-provider". Após executar, veja que o prefixo configurado no git flow init foi concatenado com "cache-provider". As ações internas envolveram criar uma nova branch baseada na develop e um checkout em tal branch.

Criando uma feature - Gitflow

Para demonstração do desenvolvimento da feature "cache-provider" execute os seguintes passos:

  • touch cache-provider.js (cria um arquivo em branco chamado cache-provider.js no diretório)
  • git add cache-provider.js (adiciona o arquivo na área de preparo/staging para o próximo commit)
  • git commit -m "adding a cache provider" (realiza um commit que inclui o arquivo recém criado)
  • git flow feature finish cache-provider (indica que a feature foi concluída e pode ser mesclada para develop)

Concluindo uma feature - Gitflow

Como visto na imagem acima, também não é necessário informar o prefixo na hora de encerrar uma feature. Ao concluir uma feature as ações internas que ocorrem são:

  • Mesclagem da feature em direção a develop
  • Remoção da branch criada feature/cache-provider
  • Checkout na branch develop

Se você estiver desenvolvendo um novo recurso de forma colaborativa, seria interessante publicar a feature após cada commit da seguinte forma:

git flow feature publish <NOME_FEATURE>
Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

Criando uma hotfix branch

Quando um problema emergencial surge e não há a possibilidade de aguardar a próxima release pode-se utilizar hotfix. Para isso, basta executar o seguinte comando:

git flow hotfix start <NOME_HOTFIX>
Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

Para esta prática, considere NOME_HOTFIX igual a "template-fix". É importante observar que este tipo de branch foi criado baseado na master. Logo após a criação da branch é feito um checkout no ramo recém criado.

Criando uma hotfix - Gitflow

Para demonstração do desenvolvimento da hotfix execute os seguintes passos:

  • touch template-fix.js
  • git add template-fix.js
  • git commit -m "template bug fix"
  • git flow hotfix finish template-fix

Será aberto o editor padrão para solicitar uma definição da tag e dos commits de merge (para develop e para a master). Você deve informar, obrigatoriamente, ambas as descrições (os merges já possuem uma descrição padrão que você pode manter, mas a tag precisa ser informada).

Concluindo uma hotfix - Gitflow

Observe que várias ações foram promovidas:

  • Houve um merge da branch hotfix em direção a master e develop
  • Uma tag foi criada
  • A branch de hotfix foi deletada
  • Houve um checkout novamente para a branch develop.

Criando uma release branch

A correção emergencial já consta nas duas branches básicas master e develop, contudo a feature "cache-provider" ainda não está na master. Qualquer novo recurso ou correção não emergencial é promovido em produção através de release branches. Para isso execute o comando abaixo:

git flow release start <NOME_RELEASE>
Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

Criando uma release - Gitflow

Neste momento, foi realizado checkout na branch do tipo release que foi criada a partir da branch develop. Este ramo permite correções antes de ser mesclado na branch master, o que justifica um merge de volta para develop. Nessa prática, não será realizado nenhum tipo de correção, por isso basta executar:

git flow release finish <NOME_RELEASE>  
Enter fullscreen mode Exit fullscreen mode

Concluindo uma release - Gitflow

Observe que várias ações foram promovidas:

  • Houve um merge da branch release em direção a master e develop
  • Uma tag foi criada
  • A branch de release foi deletada
  • Houve um checkout novamente para a branch develop.

Guia

A imagem abaixo ilustra bem como você pode utilizar esta extensão para Gitflow por linha de comando.

Guia Gitflow
Fonte: https://danielkummer.github.io/git-flow-cheatsheet/index.pt_BR.html

Pontos de atenção

  • Qualquer novo recurso ou bug não emergencial deve ser mesclado com a branch develop somente quando este estiver confirmado na próxima release. Isso porque a próxima versão que será promovida em produção é criada a partir da branch develop. Se a cada release há a necessidade de remover commits pois esses foram bloqueados por algum motivo, isso certamente irá gerar um overhead muito grande para a equipe de desenvolvimento
    • Uma alternativa que pode minimizar esse problema é a utilização de feature toogles, quando possível
  • É interessante possibilitar testes na própria ramificação de recurso ou bug não emergencial, para que qualquer erro ou um entendimento equivocado seja resolvido antes da integração com a branch develop
  • Se não há ferramentas e processos, que possibilitem os testes acima, então os testes serão realizados diretamente na branch develop. Neste caso, é muito importante que todo o time esteja comprometido em agir prontamente para qualquer erro reportado. Lembre, essa versão é a que será implantada em produção na próxima release
  • Mudanças de prioridades podem ocorrer, porém se constantemente é necessário remover commits da develop, talvez o Gitflow não seja o melhor fluxo de trabalho para este projeto
  • Antes de definir o Gitflow como o modelo que será implantado, estude outros fluxos de trabalho disponíveis. Dependendo das necessidades você pode considerar outros mais simples e que envolvam menos passos e preocupações

Considerações finais

Após a leitura sobre diversos artigos sobre Gitflow, um assunto que considero bastante polêmico no que tange sua utilização, o Gitflow parece funcionar bem para produtos com lançamentos feitos uma vez a cada poucas semanas, porém quando a necessidade é implantar em produção constantemente, talvez seja interessante avaliar outros fluxos de trabalho

Vale destacar a própria nota de reflexão do Vincent Driessen, criador do Gitflow:

This is not the class of software that I had in mind when I wrote the blog post 10 years ago. If your team is doing continuous delivery of software, I would suggest to adopt a much simpler workflow (like GitHub flow) instead of trying to shoehorn git-flow into your team.

Quer aprender mais sobre Git? Aprenda no mais novo curso de Git - Básico ao avançado

Top comments (0)